Segundo uma meta-análise da revista Lancet, o uso diário de aspirina reduz o risco de morte em vários tipos comuns de câncer, além de seu já bem conhecido benefício na redução do risco de câncer colorretal.

Pesquisadores reuniram dados de oito estudos, que envolveram cerca de 25 mil pessoas a quem foi recomendado o uso diário de aspirina ou terapia de controle por pelo menos quatro anos. (Os estudos originalmente investigavam os efeitos da aspirina em eventos cardiovasculares).

No geral, pacientes que receberam a aspirina apresentaram uma proporção menor de mortes por câncer durante os estudos; quando dados individuais de pacientes se tornaram disponíveis (de cerca de 23,5 mil pacientes), a redução apareceu apenas cinco anos depois do uso da aspirina. O aparente benefício aumentou com a duração do tratamento, não era relacionada a dose diária e parecia restrito a adenocarcinomas.

Em três estudos no Reino Unido, os registros de câncer foram usados para estender o acompanhamento para estabelecer riscos em 20 anos, que permaneceram menores nos recipientes de aspirina mesmo após o final da participação no estudo.

Fonte: Physician’s First Watch

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.