Cada vez mais os cientistas estão explorando as propriedades de remédios naturais em busca de novos compostos anticancerígenos. E os esforços parecem estar dando resultado.

Os pesquisadores do City of Hope, liderados por Lucy Liu, recentemente graduada da Irell & Manella Graduate School of Biological Sciences, do City of Hope, e Richard Jove, diretor no Beckman Research Institute, relataram que um composto derivado de um tradicional tratamento chinês contra o câncer pode ser eficaz contra o melanoma, a forma mais letal de câncer de pele.

O estudo, publicado na edição de junho da revista Cancer Research, descobriu que o composto chamado 6BIO – abreviação de 6-bromoindirubina-3′-oxima – bloqueia a propagação de proteínas em células de melanoma e as força a realizar a apoptose, um tipo de suicídio celular.

O 6BIO é um derivado químico da indirubina, ingrediente ativo encontrado em Dang Gui Wan Long Hui, uma mistura de 11 ervas e flores usadas na medicina tradicional chinesa para tratar a leucemia mieloide crônica (LMC). A indirubina vem da planta índigo, um ingrediente do remédio.

Os derivados da indirubina são quimicamente semelhantes ao 6BIO – chamados de bromoindirubina  – e ajudam a formar o pigmento azul avermelhado de algumas conchas do mar Mediterrâneo. Os antigos fenícios utilizavam os pigmentos há mais de 2.500 anos atrás para fazer a tintura roxa Tyrian, usada no manto de reis e rainhas.

Nos últimos anos cientistas têm mostrado a atividade da indirubina não apenas contra a LMC, mas também contra outros tipos de câncer, como pulmão, cérebro e próstata.

Sangkil Nam, Ph.D., professor e pesquisador do departamento de Medicina Molecular, e Jove descobriram uma das maneiras com que a indirubina e alguns de seus derivados impedem o câncer. Os compostos interferem com uma proteína chamada STAT3, que promove o crescimento e desenvolvimento do câncer e pode proteger as células tumorais do sistema imunológico.

O estudo constatou que o 6BIO funciona bloqueando um grupo de proteínas chamado Janus quinase, ou Jaks, que ativam o STAT3. Ao bloquear o Jaks, o 6-BIO inibe a ativação do STAT3 e dificulta sua atividade de desenvolver o câncer.

Além disso, de todos os compostos do grupo testado, o 6BIO foi o mais eficaz, suprimindo o crescimento de células com tumor com um resultado três vezes melhor que a própria indirubina. “Muitas vezes observamos que o ingrediente ativo num remédio natural ou tradicional é eficaz, mas pode ser melhorado com algumas modificações”, disse Liu.

O 6BIO também suprimiu o crescimento do tumor e demonstrou baixa toxicidade em ratos com melanoma humano. As descobertas sugerem que o 6BIO, ao agir diretamente no sistema JAK/STAT3, pode ser um agente efetivo contra o câncer. Os pesquisadores continuam a o estudo com a esperança de um dia testar seus componentes ou moléculas relacionadas em pacientes.

Fonte: City of Hope

 

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.