Carta aberta de oncologistas solicita rapidez na aprovação da combinação de nab-paclitaxel e atezolizumabe para o tratamento de pacientes com câncer de mama triplo-negativo metastático

 

Oncologistas da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) escreveram uma carta aberta em que pedem agilidade por parte das agências regulatórias para a aprovação da imunoterapia no tratamento do câncer de mama triplo-negativo metastático no Brasil. Na semana passada, um estudo divulgado no Congresso da Sociedade Europeia de Oncologia (ESMO 2018) e um estudo publicado em paralelo no New England Journal of Medicine mostraram o benefício do tratamento.

O câncer de mama triplo negativo é um subtipo raro de tumor, mas para o qual existiam poucas alternativas de terapia eficaz disponíveis. O estudo IMpassion 130 foi o primeiro de fase 3 a documentar benefício significativo da combinação de nab-paclitaxel e atezolizumabe para o tratamento desses pacientes. Ambas as medicações já têm liberação de uso no Brasil, mas com outras indicações.

“No contexto de uma doença extremamente grave e praticamente órfã de novas opções de tratamento nas últimas décadas, em função da disponibilidade de ambas as medicações em nosso País (embora aprovadas para outros tipos de tumores) e, principalmente, em face do benefício significativo que este tratamento pode proporcionar às pacientes, a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) vê fundamentos científicos sólidos para solicitar celeridade na aprovação pelas autoridades regulatórias  da combinação de nab-paclitaxel e atezolizumabe para o tratamento de pacientes com câncer de mama triplo-negativo metastático no Brasil”, diz a carta assinada pelo presidente da SBOC,  Sergio D. Simon e os oncologistas José Bines (Clínica São Vicente), Gilberto Amorim (Oncologia D’Or), Max S. Mano (Hospital Sírio-Libanês), Rafael Kaliks (Hospital Israelita Albert Einstein), Carlos H. Barrios (Hospital São Lucas da PUCRS e Latin American Cooperative Oncology Group – LACOG).

 

 

Sofia Moutinho

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.