A farmacêutica suíça Roche divulgou nessa semana os resultados do estudo Gadolin, que trouxe resultados positivos para o uso de obinutuzumabe em pacientes com linfoma não-Hodgkin indolente que são refratários ao tratamento com rituximabe.

O estudo de fase III envolveu 413 pacientes cuja doença progrediu durante ou após o uso do rituximabe.

A pesquisa e mostrou que as pessoas viveram significativamente mais tempo sem progressão da doença e aumentaram a sobrevida livre de progressão quando tratadas com o medicamento obinutuzumabe mais bendamustina seguido por obinutuzumabe sozinho, em comparação com tratamento apenas com bendamustina.

Os dados finais de Gadolin ainda estão em fase de conclusão e devem ser apresentados em breve às principais agências reguladoras do mundo, para que possa ser adotado como tratamento para este tipo de pacientes.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.