Os principais tratamentos adjuvantes para adenocarcinoma de pâncreas incluem fluorouracil, gemcitabina, quimioirradiação e quimioirradiação mais fluorouracil ou gemcitabina. No entanto, ainda não há uma conclusão definitiva sobre qual é o regime ideal. Para comparar estes tratamentos em termos de sobrevida global após a ressecção do tumor e em termos de efeitos tóxicos de grau 3-4,  uma equipe do Instituto de Epidemiologia e Medicina Preventiva da Faculdade de Saúde Pública da Universidade Nacional de Taiwan realizou uma revisão sistemática, a partir dos registros de ensaios, revisões e resumos relacionados a ensaios clínicos randomizados publicados no PubMed, comparando os mais de cinco tratamentos ou observações isoladas anteriores a 30 de Abril de 2013.

Foram estimados o risco relativo para a morte e a taxas de <strong>odds ratios</strong><strong> </strong>(ORs) para efeitos tóxicos entre as diferentes terapias e ORs para efeitos tóxicos dos estudos incluídos. O impacto na sobrevida livre de progressão também foi avaliado.

Dez trabalhos foram considerados elegíveis, reportando nove estudos. Na análise, as taxas de risco de morte foram de 0·62 (com 95% de intervalo de confiança 0·42-0·88) para fluorouracil, 0·68 (0·44 – 1·07) para gemcitabina, 0·91 (0·55 -1·46) para quimioirradiação, 0·54 (0·15 – 1·80) para quimioirradiação mais fluorouracil e 0·44 (0·10 – 1·81) para quimioirradiação mais gemcitabina.

A proporção de pacientes com linfonodos positivos foi inversamente associada com ganhos de sobrevida com os tratamentos adjuvantes. Após o ajuste para este fator, fluorouracil (HR 0·65, 0·49 – 0·84) e gemcitabina (HR0·59, 0·41 – 0·83)  tiveram maior impacto na sobrevida, enquanto a quimioirradiação resultou em pior sobrevida, tanto na comparação com fluorouracil (HR 1·69, 1·12 – 2·54) quanto com gemcitabina (HR 1·86, 1·04 – 3·23).

O regime de quimioirradiação mais gemcitabina foi classificado como o mais tóxico, com efeitos tóxicos hematológicos significativamente maiores do que o segundo mais tóxico, o tratamento de quimioirradiação mais fluorouracil ( OR 13·33, 1·01 – 169·36).

Com base nesses dados, o grupo concluiu que quimioterapia com fluorouracil ou gemcitabina é o tratamento adjuvante ideal para adenocarcinoma do pâncreas e reduz a mortalidade após a cirurgia em cerca de um terço. Já a quimioirradiação mais quimioterapia é menos eficaz em prolongar a sobrevida, além de mais tóxico que a quimioterapia.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.