Pesquisa aponta que o consumo diário de refrigerantes adocicados com açúcar aumenta em até 18% o risco da doença

 

Os refrigerantes entraram na lista negra da saúde não é de hoje, especialmente pelo alto teor de açúcar e ingredientes artificiais como corantes. Um estudo australiano agora mostra pela primeira vez uma associação entre o consumo da bebida e o risco de câncer, independentemente da presença de obesidade.

A relação entre o obesidade e câncer é bem estabelecida e até hoje sempre se acreditou que o consumo de refrigerante ou qualquer outra bebida doce aumentava o risco da doença devido ao aumento do peso e gordura corporal que o açúcar proporciona. O estudo australiano, no entanto, aponta que não é necessário ser obeso para ter esse risco elevado, basta consumir um copo de refrigerante por dia, mesmo sendo a pessoa mais em forma do mundo.

Os pesquisadores acompanharam mais de 35 mil indivíduos, dos quais 3.283 desenvolveram cânceres relacionados à obesidade, como rim, colorretal, esôfago, mama, gástrico, fígado, próstata, ovário e bexiga. Foram observados seus históricos médicos e hábitos de dieta e saúde. Eles perceberam que as pessoas que bebiam refrigerantes diariamente mostraram mais risco de câncer, cerca de 18% a mais, independentemente se serem obesas ou não.

“Observamos tipos de câncer normalmente relacionados à obesidade, mas em pessoas que consumiam refrigerantes diariamente, não importando o peso ou a circunferência abdominal delas”, explica Allison Hodge, do Cancer Council Victoria e da University de Melbourne. “Ficamos surpresos que o risco não esteja associado diretamente à obesidade.”

O risco não foi observado em pessoas que consumiam refrigerantes diet, sem açúcar, o que levou os pesquisadores a supor que o açúcar seja a causa do risco. O corante caramelo 4-methylimidazole, comumente encontrado em refrigerantes do tipo cola, e adoçantes artificiais foram descartados como causa.

Os pesquisadores apontam que o resultado do estudo reforça a ideia de diminuir o consumo de refrigerantes e trocar a bebida por água.

Sofia Moutinho

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.