Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, desenvolveram um novo exame de sangue capaz de detectar com alta precisão a recidiva de um câncer de mama ou a propagação da doença pelo corpo. Segundo os pesquisadores, o novo teste significa um grande avanço na área, uma vez que, atualmente, não existe nenhuma forma de teste eficiente para descobrir se há recorrência do câncer de mama em pacientes assintomáticas.

Os exames atualmente disponíveis no mercado são recomendados apenas quando as pacientes têm queixas de dor ou outros problemas indicativos de metástases. Além disso, esses testes não são suficientemente acurados. De acordo com os pesquisadores, a ideia é que o novo teste possa ser realizado rotineiramente, ajudando médicos e pacientes a se manterem alerta sobre o retorno do câncer original em um lugar mais distante.

Para o desenvolvimento do estudo, os cientistas identificaram 10 genes que são alterados em caso de câncer de mama. O teste realiza reações com um ou mais desses genes que, quando detectados, indicam o retorno ou a propagação do tumor.

Há indicativos de que o mesmo teste possa ser efetivo para outros tipos de tumores, como pulmão e colorretal.

As descobertas relativas ao novo teste, batizado de cMethDNA, foram publicadas no Cancer Research.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.