Medicamento deve triplicar a sobrevida de pacientes com câncer de mama HER2 positivo

O Ministério da Saúde tornou pública a decisão de incorporar o Pertuzumabe no tratamento do câncer de mama HER2 positivo metastático em primeira linha no Sistema Único de Saúde (SUS).

A decisão, já em vigor, tem prazo de 180 dias para efetivação da oferta do medicamento. A chegada do medicamento vem logo após a incorporação do trastuzumabe, aprovada em agosto deste ano. Combinamos, os medicamentos podem trazer um aumento dignificativo de sobrevida para esse grupo de pacientes

“As pacientes com câncer de mama metastático HER2 positivo terão agora acesso a melhor terapia disponível, associando com Trastuzumabe e com o quimioterápico Docetaxel, possibilitando mais chances para o tratamento desta doença”, comenta o oncologista clínico Dr. Gilberto Amorim, do Grupo Oncologia D’Or e do Conselho Científico da Fundação Laço Rosa do Rio de Janeiro. “Considerando a incorporação do Trastuzumabe no cenário metastático em janeiro ou fevereiro de 2018 e a chegada do pertuzumabe em junho,  a expectativa é de quase triplicar a sobrevida para estas pacientes em relação à situação atual de uso de quimioterapia isolada e diminuir o abismo entre o SUS e a Saúde Suplementar” reforça o especialista.

 

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.