Atividades de musculação não aumentam o risco de linfedema entre mulheres que sobreviveram ao câncer de mama, segundo um estudo do JAMA.

Cerca de 150 sobreviventes com risco de linfedema foram randomizadas para uma intervenção de um ano de musculação (um programa lentamente progressivo que foi supervisionado pelas primeiras 13 semanas) ou não-intervenção. No final do estudo, a incidência de linfedema (pelo menos um aumento de 5% em inchaço nos braços) foi de 11% no grupo de musculação e 17% no grupo controle. Entre as mulheres que tinham cinco ou mais linfonodos removidos, a diferença enre os grupos foi maior: 7% com musculação e 22% no grupo controle.

Segundo os autores, o estudo mostra que “não há um aumento de risco de aparecimento de linfedema apenas com musculação, com uma possível redução da probabilidade” da condição em mulheres que tiveram vários linfonodos removidos.

Fonte: Physician’s First Watch

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.