A agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) anunciou a aprovação de reforços no sistema convencional de mamografia que possibilitem perspectivas tridimensionais no rastreamento e diagnóstico de câncer de mama.

Em estudos clínicos que envolveram cerca de 300 mamografias, os reforços permitiram uma melhora de 7% sobre as perspectivas bidimimensionais padrão na distinção entre câncer e não-câncer. A agência diz que a combinação de imagens 2-D e 3-D dobra a dose de radiação aplicada, mas aumenta o risco de câncer em menos de 1%, comparado à mamografia convencional. O número de mulheres reconvocadas para novos exames foi significativamente menor com reforços 3-D, segundo documentos submetidos pelo fabricante ao FDA.

Fonte: Physician’s First Watch

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.