O FDA aprovou no final de março uma nova imunoterapia, o ipilimumabe, para tratamento para melanoma metastático.

A aprovação para a droga intravenosa – que permite que o corpo combata os tumores ao bloquear o antígeno do linfócito-T que pode desacelerar o sistema imunológico – foi baseado num estudo com 676 pacientes com melanoma avançado que receberam um dos três tratamentos randomicamente: ipilimumabe, uma vacina tumoral experimental ou ipilimumabe mais vacina. Aqueles que receberam ipilimumabe (tanto isoladamente quanto com a vacina) tiveram melhor sobrevida global que aqueles que receberam apenas a vacina (sobrevida média, 10 vs 6,5 meses).

Reações autoimunes são comuns com a terapia e incluem colite, diarreia, disfunção endócrina, fadiga e alergia na pele. Além disso, reações mais severas ou fatais ocorreram em 13% dos pacientes estudados.

Fonte: Physician’s First Watch

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.