A Comissão Europeia aprovou o uso do pembrolizumabe para o tratamento de melanoma avançado iressecável ou metastático em adultos. A aprovação é tanto para a primeira linha do tratamento como para pacientes previamente tratados. O pembrolizumabe é uma imunoterapia anti PD-1. O pedido de aprovação foi solicitado pelo laboratório MSD e será comercializado sob o nome Keytruda.

A aprovação foi baseada em três estudos clínicos (KEYNOTE 001, KEYNOTE 002 e KEYNOTE 006), que avaliaram 1.500 pacientes com melanoma avançado.

Com a decisão da Comissão Europeia, pembrolizumabe passa a ter a comercialização liberada em 35 países para o tratamento de melanoma avançado, entre eles Estados Unidos e Israel.

A nova droga é uma pembrolizumabe é um anticorpo monoclonal humanizado, desenvolvido para aumentar a capacidade do sistema imunológico de combater o melanoma avançado. A ação do medicamento ocorre por meio do bloqueio da interação entre a proteína PD-1, das células de defesa do corpo, e seus ligantes, o PD-L1 e PD-L2, das células tumorais. Ao bloquear essa interação, o medicamento aumenta o potencial de ataque das células de defesa em relação às células cancerígenas, ou seja, faz com que haja mais ação contra o tumor.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.