Artigo inventado por jornalistas indicava que a própolis era mais eficaz que a quimio para o câncer colorretal

Artigo inventado por jornalistas indicava que a própolis era mais eficaz que a quimio para o câncer colorretal

O jornal francês Le Monde noticiou esta semana que um artigo científico falso criado por jornalistas alemães foi aceito e publicado no periódico indiano Journal of Integrative Oncology.

O falso estudo, obra da imaginação de jornalistas do diário “Süddeutsche Zeitung” e da rádio pública NDR, traz os supostos resultados de um estudo clínico que assegurava que o extrato de própolis é mais eficaz contra o câncer colorretal que as quimioterapias convencionais.

A iniciativa dos jornalistas faz parte de uma a investigação sobre periódicos pouco escrupulosos e pretendia demonstrar que qualquer pessoa pode publicar pagando.

O Journal of Integrative Oncology tem como editores-chefe pesquisadores da Baylor College of Medicine (USA), Tianjin Medical University (China) e Gulf Medical University
(UAE).

O oncologista Andre Sasse, da PUC de campinas e do grupo Sonhe, apoia a iniciativa dos jornalistas. “Iniciativas como essas são muito bem vindas, para demonstrar os riscos dessas revistas inescrupulosas, criadas apenas para arrecadar dinheiro com publicações sem filtro”, diz. “Infelizmente, o número de revistas pseudocientíficas está aumentando cada vez mais.”

O médico destaca a importância do preparo dos médicos para distinguir um estudo real de um falso. “É fundamental que todos os médicos tenham capacidade de analisar criticamente um estudo, avaliar de forma sensata a metodologia e os resultados, e sejam céticos em relação a todas as publicações”, diz. “Conceitos de Medicina Baseada em Evidências, bioestatítstica e metodologia científica são hoje fundamentais para o médico se manter atualizado, com menos riscos de cair em armadilhas como essa.”

Sofia Moutinho

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.