WASHINGTON, DC – O risco de câncer de mama em ratos diminuiu significativamente quando sua dieta regular incluiu uma quantidade modesta de noz ao longo da sua vida, sugere estudo financiado pela AICR e publicado na revista “Nutrition and Cancer”.

O estudo comparou os efeitos de uma dieta típica aos de uma dieta contendo nozes ao longo da vida, desde a concepção, através da mãe, até o desmame e, posteriormente, ao comer o alimento diretamente. A quantidade de noz na dieta-teste é equivalente a cerca de 50 gramas por dia para os humanos.

“O que descobrimos foi que o consumo de uma dieta com noz reduziu os tumores mamários em ratos”, disse w. Elaine Hardman, principal pesquisadora do estudo e professora associada na Marshall University’s Joan C. Edwards School of Medicine. “A redução do tumor foi melhor quando a mãe consumiu as nozes e sua prole também as consumiu ao longo da vida.”

“Este é um estudo realizado em animais e por isso ainda não se sabe se os resultados se aplicam aos seres humanos”, disse Alice Bender, gerente de comunicação nutricional do AICR, “mas é interessante e realmente nos mostra como alimentos integrais, como nozes, podem desempenhar um papel na prevenção do câncer”.

“O que já está claro é que as pessoas que comem mais alimentos com fibras não-processadas como nozes, legumes, frutas, grãos integrais e feijões, podem melhorar a saúde e reduzir seu risco de câncer e outras doenças crônicas”, disse Bender.

Durante o período do estudo, um grupo de camundongos fêmeas geneticamente predisposto ao câncer de mama foi alimentado com uma dieta contendo nozes. Menos da metade dos descendentes cuja dieta também incluía nozes desenvolveu câncer de mama em comparação com o grupo que não consumiu nozes. Além disso, o número de tumores e seus tamanhos foram significativamente menores.

O grupo que consumiu nozes somente após o desmame – a mãe não foi alimentada com nozes – mostrou aproximadamente um terço menos tumores em comparação com os ratos não expostos às nozes.

“A pesquisa mostra que a exposição a componentes da dieta durante os períodos de rápido desenvolvimento da glândula mamária faz diferença na incidência do câncer”, disse Hardman. “Queríamos tentar identificar o efeito das nozes na gestação, bem como na puberdade, dois períodos de desenvolvimento especialmente rápido.”

O trabalho destaca que os estudos de modificação dietética não mostram se os benefícios resultam do que é adicionado ou removido de uma dieta. Neste caso, acrescentar gorduras saudáveis e outros componentes significou que a gordura não saudável foi reduzida para manter a gordura dietética total equilibrada nos ratos. Hardman disse que outros estudos têm mostrado claramente, no entanto, que vários ingredientes nas nozes reduzem o risco de câncer ou retardam seu crescimento.

Usando a análise genética, o estudo de Marshall descobriu que a dieta contendo noz mudou a atividade de vários genes relevantes para o câncer de mama em camundongos e seres humanos. Outros testes mostraram que os aumentos de ácidos graxos do ômega-3 não eram os únicos responsáveis pelo efeito anticâncer, e observaram que o crescimento do tumor diminuiu quando houve acréscimo de vitamina E na dieta. “Com as nozes, como acontece com outros alimentos, a pesquisa sugere que é provável que a sinergia entre os componentes levem à redução da incidência de câncer”, disse Hardman.

Nozes contêm componentes que podem retardar o crescimento do câncer, incluindo ácidos graxos ômega 3, fitoesteróis, polifenóis, carotenóides e vitamina E.

As conclusões destacam o papel vital da dieta na saúde.”Este estudo realmente ressalta a importância de comer alimentos integrais rotineiramente, onde os nutrientes e fitoquímicos trabalham todos juntos para uma melhor saúde e proteção contra o câncer”, disse Bender.

Fonte: The American Institute for Cancer Research (AICR)

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.