Pesquisadores de 12 hospitais espanhóis lideram a busca de um biomarcador para terapia antiangiogênica em câncer de mama, mediante inovadoras técnicas moleculares e de imagem para avaliar a resposta ao tratamento.

Jesus García-Foncillas, chefe do serviço de Oncologia Médica da Clínica Universitária de Navarra e principal pesquisador do estudo IMAGING, anunciou a iniciativa no 47º Congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), realizado em Chicago.

A pesquisa foi considerada pela comunidade científica internacional, neste fórum, como um dos trabalhos “mais ambiciosos” neste âmbito.

O especialista explicou em declarações à Agência Efe, que a terapia antiangiogênica se incorporou com sucesso ao arsenal terapêutico de diferentes tumores.

A angiogênese e proliferação de vasos sanguíneos é um passo prévio à transição de um grupo inofensivo pequeno de células a um tumor de tamanho e à disseminação de um câncer e metástases.

García-Foncillas assinalou que bloquear este processo significa impedir que o tumor possa nutrir-se da criação de novos vasos sanguíneos e desse modo seguir crescendo.

No entanto, este tratamento enfrenta alguns desafios, entre eles, a necessidade de descobrir um biomarcador que permita identificar os pacientes que melhor responderão a esta estratégia.

Outro desafio, que apontou García-Foncillas, é poder determinar mediante técnicas de imagem em que medida o tratamento alcança seu objetivo.

A análise se desenhou a fim de identificar no câncer de mama um biomarcador de eficácia para Bevacizumab, que é o antiangiogênico com maior número de indicações em câncer.

Fonte: UOL

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.