Tem início hoje o maior evento médico sobre oncologia do mundo, a reunião anual da ASCO (Sociedade Americana de Oncologia Clínica, na sigla em inglês), que ocorre até dia 06 de junho em Chicago (EUA). Em sua 53ª edição, o encontro tem por objetivo debater as inovações no diagnóstico e no tratamento do câncer, trazendo também uma visão multidisciplinar sobre a doença.

O tema deste ano é “Fazendo a diferença no tratamento do câncer com VOCÊ”. O encontro reunirá mais de 30 mil oncologistas do mundo todo para debater assuntos em alta, como medicina de precisão, imunoterapia, além de novas abordagens de diagnóstico para diversos tipos de câncer.

São esperados resultados inéditos de ensaios clínicos que podem mudar a prática médica, especialmente para câncer colorretal e de mama. A edição atual traz ainda mais estudos voltados para a avaliação da intervenção psicológica no prognóstico dos pacientes.

Entre os destaques desta edição está um estudo brasileiro sobre o impacto da incorporação da terapia-alvo para câncer de pulmão de não pequenas células na economia brasileira. A doença, que hoje responde por 85% a 90% dos casos, se desenvolve de forma mais lenta que os demais tipos. O trabalho tem autoria do oncologista clínico Carlos Gil Ferreira, do Grupo Oncologia D’Or, e analisa quanto o uso da terapia-alvo com os testes genéticos de biomarcadores gera de aumento de sobrevida e redução de gastos no sistema de saúde. “O objetivo é gerar o máximo de dados possíveis para que, no futuro, possamos implementar a medicina de precisão em oncologia no Brasil. Possibilitando, desta forma, novos financiamentos de pesquisa sobre esse tipo de tumor”, explica o médico.

Dentre os trabalhos brasileiros também estão estudos sobre qualidade de vida e câncer na terceira idade da  oncologista Jurema Salles, da clínica NeOh, em Salvador. Um deles traz uma avaliação geriátrica abrangente, realizada entre os anos de 2015 e 2016, que analisa o risco de infecção e mortalidade precoce em pacientes idosos primeiramente em emergências.

Segundo a especialista, o objetivo dos estudos é promover uma avaliação sobre todos os problemas que afetam a saúde do paciente idoso com câncer. “Desta forma, seria possível discutir o desenvolvimento de um sistema de cuidado personalizado capaz de diminuir o número de morte precoce dessas pessoas”, explica Salles.

A Revista Onco& estará direto de Chicago fazendo uma cobertura dos destaques do evento. Acompanhe as notícias em nosso site, Facebook e Twitter e cadastre-se para receber nosso boletim completo ao final do evento, na terça-feira, dia 6 de junho.

asco2017 receba

Sofia Moutinho

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.