A Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO, na sigla em inglês) recomenda que os médicos devem ter conversas realistas com os pacientes diagnosticados com câncer avançado, acerca de prognóstico, preferências e opções de tratamento. Atualmente, essas discussões ocorrem com menos de 40% dos pacientes.

Entre os objetivos para tratamento individualizado traçados no artigo, publicado no Journal of Clinical Oncology, estão:

–       A terapia anticâncer deve ser discutida com pacientes quando houver sinais de que a conversa pode prover um “benefício clínico significativo”. Essas conversas devem incluir a probabilidade e a natureza da resposta clínica e os potenciais efeitos adversos.

–       As discussões sobre a qualidade de vida devem ocorrer na hora do diagnóstico e durante a doença, juntamente com o desenvolvimento de um plano de tratamento.

–       Os pacientes devem ter a opção de participar de estudos clínicos.

–       Quando não houver mais tratamentos razoáveis, os pacientes devem ser encorajados a aderir aos cuidados paliativos.

Fonte: Physician’s First Watch

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.