Um novo estudo com pacientes com câncer renal local mostra uma forte ligação com a diabetes, com a maioria dos cânceres avançados encontrados naqueles com pior controle sobre o açúcar no sangue.

“Precisamos dizer às pessoas com diabetes para controlar sua glicose no sangue”, disse Samy Habib, professor assistente de biologia celular e estrutural da University of Texas Health Science Center, que liderou o estudo. “Eles precisam checar frequentemente sua hemoglobina A1c, e manter os níveis de glicose dentro das taxas mais normais possíveis.”

O estudo, publicado no <em>Journal of</em> <em>Cancer, </em>analisou os registros médicos de centenas de pacientes de San Antonio com a forma mais comum de câncer de rim e descobriram que um quarto deles também tinha diabetes.

Diabetes é um dos muitos fatores de risco para o câncer renal. Outros fatores incluem obesidade, tabagismo, pressão arterial elevada, transplantes de rim, histórico familiar e exposição a determinados componentes químicos.

O tamanho do papel que o diabetes desempenha no câncer de rim ainda é um pouco controverso, mas uma análise feita ano passado por pesquisadores suecos, que incluiu nove estudos e 5,8 milhões de pacientes em todo o mundo observou que os diabéticos tinham um risco 42% maior de desenvolver câncer de rim do que não diabéticos.

Ambos os estudos descobriram que mulheres com diabetes tinham um risco muito maior de ter câncer de rim do que os homens diabéticos. Em geral, mais homens que mulheres desenvolvem câncer renal.

William Lowrance, professor assistente de oncologia da University of Utah, liderou um estudo semelhante no ano passado e observou uma ligação entre obesidade e câncer de rim. Ele disse que ainda não é claro se uma outra circunstância está causando a doença ou apontando para alguma outra causa subjacente.

“Há algo aqui”, disse Lowrance. “Quer seja obesidade, diabetes, doença renal crônica, certamente parece que vários fatores estão se alinhando para nos dizer que há algo que é associado ou está potencialmente causando um aumento da incidência de câncer de rim.”

O novo estudo analisou os registros médicos de 473 pacientes submetidos a cirurgia local para carcinoma de células renais de células claras, a forma mais comum de câncer de rim, entre 1994 e 2009. Destes, 120, ou 25,4%, tinha um histórico de diabetes. Três quartos dos diabéticos eram hispânicos e tendiam a ser mais jovens do que os não diabéticos.

Enquanto os diabéticos tinham maior probabilidade de ser diagnosticados com pequenos tumores locais, o estudo descobriu que aqueles com os maiores níveis de A1c, que mostram o controle de açúcar no sangue a longo prazo, a maioria tinha cânceres avançados. Aqueles com câncer em estágio 3 e 4, indicando tipos de câncer que se espalharam para outras partes do corpo, tinham níveis de A1c de 7,7 e 8,2 respectivamente. Os médicos recomendam aos pacientes diabéticos uma taxa de A1c menor que 7.

&nbsp;

<strong>Fonte:</strong> <a href=”http://www.mysanantonio.com/news/local_news/article/Kidney-cancer-diabetes-linked-2696979.php” target=”_blank”>San Antonio Express News</a>

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.