Proteína ligada ao crescimento de vasos sanguíneos que nutrem o tumor pode ser novo alvo

Cientistas da University of North Carolina identificaram um novo alvo terapêutico para os cânceres de rim com uma mutação genética comum ligada à proliferação de vasos sanguíneos que nutrem o tumor. O estudo foi publicado na última edição da Science.

Mais de 90% dos tumores de rim do tipo mais comum, carcinomas, possuem uma alteração genética no gene supressor de tumor VHL. Os pesquisadores descobriram que uma proteína chamada ZHX2 se acumula nos tumores de rim e ajuda a ligar sinais envolvidos no desenvolvimento da doença. O estudo sugere que essa proteína pode ser um alvo terapêutico para o carcinoma renal.

“Se você perde o VHL, acumula a proteína ZHX2, que liga a sinalização que promove o câncer de rim”, disse em comunicado à imprensa o líder do estudo Qing Zhang. “Essa proteína pode se rum alvo terapêutico e nosso próximo passo é descobrir como mirar esse alvo.”

Já existem drogas usadas e aprovadas para inibir a sinalização celular envolvida na formação de vasos sanguíneos no tumor, mas muitos pacientes desenvolvem resistência ou mostram poucos resultados a esses medicamentos.

“Queremos entender o que ocorre quando o VHL não está ático, o que mais pode provocar a oncogênese”, diz Zhang.

Em testes in vitro os pesquisadores foram capazes de inibir o crescimento de tumores e seu espalhamento ao eliminar a ZHX2.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.