(Reuters Health) – Homens são diagnosticados com câncer de mama a menos de 1% da taxa de mulheres, segundo uma nova análise das taxas de câncer de seis cidades e países.

Mas quando eles desenvolvem câncer de mama, a doença é geralmente diagnosticada num estágio mais avançado e os pacientes têm mais probabilidade de morrer da doença.

“Não surpreende que os homens com câncer de mama apresentem estágios mais avançados”, disse a pesquisadora Susan Dent, do Centro de Câncer do Hospital de Ottawa, no Canadá, que não estava envolvida no novo estudo. “Isso acontece apenas porque a consciência de que o câncer de mama pode ocorrer em homens não é tão desenvolvida. Os homens não costumam pensar sobre isso e os profissionais de saúde também não são tão propensos a pensar que homens têm câncer de mama.”

De acordo com o National Cancer Institute, os homens são mais comumente diagnosticados com câncer de mama entre 60 ou 70 anos de idade. A exposição à radiação e doenças que aumentam os níveis de estrogênio – tais como cirrose hepática ou síndrome de Klinefelter, uma doença genética – estão entre os fatores que aumentam o risco do homem.

Dent acrescentou que os homens devem estar particularmente conscientes do câncer de mama – e, possivelmente, considerar o rastreamento da doença – se tiverem histórico familiar, incluindo uma predisposição ao câncer causada por mutações nos genes BRCA1 e BRCA2, que são bem conhecidos por elevar o risco das mulheres aos cânceres de mama e ovário.

Mas os especialistas concordaram que homens sem histórico familiar não devem ser rastreados.

Pesquisadores combinaram registros de câncer da Dinamarca, Finlândia, Noruega, Suécia, Cingapura e Genebra, na Suíça, com casos que chegavam à década de 1970. Esses casos incluíam cerca de 460 mil mulheres diagnosticadas com câncer de mama e aproximadamente 2.700 homens.

Os homens eram mais propensos a ter doença já em metástase no momento em que foram diagnosticados. No tratamento, eles também tinham menos cirurgia e radioterapia em comparação com as mulheres, mas taxas semelhantes de quimioterapia e terapia hormonal.

Durante o período analisado, os homens registraram 72% de chance de sobreviver ao câncer de mama nos cinco anos após o diagnóstico – em comparação a 78% nas mulheres.

Mas os pesquisadores liderados pelo Dr. Mikael Hartman, da Universidade Nacional de Cingapura, observaram que quando o câncer é descoberto no mesmo estágio e os pacientes receberam o tratamento recomendado, os homens tinham uma chance melhor do que as mulheres de sobreviver a um diagnóstico de câncer de mama.

A equipe de Hartman também observou no Journal of Clinical Oncology que estudos anteriores mostraram que geralmente demoram alguns meses do momento em que os homens começam a sentir os sintomas até o diagnótico de câncer de mama.

“Os homens que desenvolvem um nódulo na mama demoram mais que as mulheres com sintomas semelhantes para consultar seu médico “, afirmou Hartman. “O câncer de mama masculino é raro, mas os homens podem desenvolver a doença e precisam estar conscientes de que devem procurar ajuda se o nódulo de mama se desenvolver.”

Por causa das recomendações para mamografias regulares em mulheres ao redor dos 40 ou com 50 anos, dependendo do país, muitos cânceres são detectados em mulheres antes que elas tenham qualquer sintoma.

A força-tarefa de prevenção dos Estados Unidos, um painel federal que estabelece as diretrizes para o rastreamento de câncer, não recomenda o rastreio regular em homens sem sintomas.

“No total, o câncer de mama masculino ainda é um evento raro”, disse Dent. “Eu nunca recomendaria que todos os homens fizessem o exame rotineiramente.”

Fonte: Reuters

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.