Aminoácido asparagina, quando bloqueado por medicamentos ou reduzido na dieta, pode reduzir chances do tumor de espalhar

Um aminoácido encontrado em diversos alimentos, entre carnes e vegetais, pode ser fundamental na metástase do câncer de mama triplo negativo. A conclusão vem de uma pesquisa internacional publicada na Nature, que aponta que a presença da molécula no organismo está associada ao risco da doença se espalhar.

O aminoácido em questão é a asparagina, uma substância naturalmente produzida pelo nosso organismo e presente em legumes como o aspargo e as batatas, carnes, ovos e laticínios. Em experimentos com camundongos, os pesquisadores observaram que o bloqueio dessa substância diminui, em animais já doentes, as chances de metástase do câncer de mama triplo negativo, um dos tipos mais resistentes da doença que hoje tem poucas alternativas de tratamento disponíveis.

Para reduzir a asparagina no organismo dos animais doentes, os pesquisadores usaram a restrição alimentar de comidas com a molécula. Eles também bloquearam a ação da substância usando a enzima L-asparagina em combinação com o tratamento de quimioterapia para o câncer. Com essas medidas, observaram uma redução nas taxas de metástase dos animais em comparação com os que não receberam esses esquema.

As metastases foram quase indetectáveis nos animais que receberam a injeção da enzima que bloqueia a asparagina e tiveram uma dieta restrita.

Os cientistas também testaram a via inversa. Os camundongos que receberam uma dieta rica em asparagina mostraram taxas mais altas de metástase.

“Os resultados do nosso estudo sugerem que mudanças na dieta impactam tanto a resposta primária do paciente à terapia quanto as chances de metástase”, diz um dos autores do estudo, Gregory J. Hannon, diretor do Cancer Research UK Cambridge Institute da University of Cambridge, Inglaterra.

Próximo passo

O pesquisador acrescenta que se os resultados foram confirmados em estudos com humanos, a limitação da asparagina consumida na dieta seria uma estratégia de controle da doença entre os pacientes.

Um ensaio clínico inicial já está previsto com voluntários saudáveis reduzindo o consumo de asparagina. Se a medida resultar na redução dos níveis da substância no organismo, o próximo passo seria fazer ensaios com pacientes com câncer.

Segundo os pesquisadores, esse tipo de estudo poderia ter impacto não só para pacientes com câncer de mama, mas para qualquer tipo de câncer com risco de metástase.

 

Sofia Moutinho

Jornalista multimídia especializada na cobertura de saúde, ciência, tecnologia e meio ambiente. Formada em jornalismo na UFRJ com pós-graduação pela Fiocruz/COC.