A Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO, na sigla em inglês) lançou uma orientação sobre as políticas acerca do uso de cigarros eletrônicos. Alvos de bastante polêmica desde que começaram a se popularizar, este tipo de produto é apontado tanto como uma alternativa interessante ao cigarro tradicional, por provocar menores danos aos pulmões,quanto como um risco em potencial por, muitas vezes, ser o primeiro contato de jovens com o tabaco ou por atrair de volta ao fumo pessoas que conseguiram se livrar de tal vício.

Entre as recomendações desenvolvidas pelo grupo de trabalho responsável pelo estudo da questão, estão pontos como a necessidade de regulamentação estatal sobre a produção e venda dos cigarros eletrônicos, bem como a necessidade de registro junto aos órgãos de vigilância sanitária e a proibição de venda e marketing voltados para crianças e adolescentes. A entidade também orienta que o uso dos cigarros eletrônicos não seja liberados em ambientes em que vigora a proibição do cigarro tradicional.

O estudo completo pode ser consultado neste link.

revista-onco

Oncologia para todas as especialidades.